Botos e baleias são monitorados por projeto no Rio

Considerado pelos cientistas como um indicador de melhora ou piora ambiental na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, o boto-cinza é o principal foco de estudo do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (Maqua) da Faculdade de Oceanografia da UERJ.

Com atividades que consistem principalmente em pesquisas no habitat natural dos cetáceos, o projeto também desenvolve ações educativas, que visam ensinar às comunidades do entorno da baía a importância de sua preservação.

Aparições dos cetáceos são o foco do projeto Maqua.
Aparições dos cetáceos são o foco do projeto Maqua. Foto: Pixabay.

Fundado em 1992, o Maqua se especializou no levantamento de informações básicas sobre a ocorrência e biologia das espécies que vivem ou passam pelo litoral do estado fluminense, onde costumam se alimentar e criar seus filhotes.

Referência para o trabalho com mamíferos aquáticos no Brasil, o projeto conta também com o auxílio da população para o registro de avistagens de espécies e ajuda em encalhes, recolhendo inclusive carcaças de animais mortos para estudos.

Em qualquer um dos casos, os contatos são: de segunda a sexta: (21) 2334-0065 / 2334-0795 e nos finais de semana e feriados: (21) 9637-8347 / 9742-4993 / 9554-6343 / Nextel 123*63128.