Máquinas de conveniência para moradores de rua

A organização britânica Action Hunger lançou, no final de 2017, uma máquina de conveniência para ajudar moradores de rua. O objetivo é atender a quem precisa de itens essenciais a qualquer hora do dia, inclusive durante a madrugada, quando os centros e instituições de caridade e os abrigos estão fechados.

A máquina guarda alimentos, como frutas, sanduíches, chocolates e barras energéticas, produtos de higiene pessoal, peças de roupa, calçados e cobertas, além de água mineral. O equipamento também coloca livros à disposição de seus usuários.

Máquina de conveniência da organização Action Hunger para moradores de rua.
Máquina de conveniência da organização Action Hunger para moradores de rua. Foto Divulgação

Para retirar qualquer item da máquina, o morador de rua recebe um cartão especial. Cada pessoa tem direito a três objetos por dia. Para a organização, esse limite é importante para impedir que o morador se torne totalmente dependente da máquina e seja obrigado a buscar outras formas de ajuda, mais eficazes e possivelmente duradouras.

Para continuar com acesso às máquinas, o projeto prevê que cada indivíduo deve procurar toda semana a instituição local responsável pela manutenção do aparelho. Assim, a organização garante que a assistência vá além do fornecimento de itens aos moradores de rua, ofereça aconselhamento e empatia e busque alternativas para melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Máquina de conveniência para moradores de rua instalada em Londres.
Máquina de conveniência para moradores de rua instalada em Londres. Foto Divulgação

A primeira máquina da Action Hunger foi instalada no bairro de Nottingham, em Londres. De acordo com a organização, a população de rua da capital inglesa triplicou nos últimos dez anos, ultrapassando a marca de oito mil pessoas entre 2015 e 2016. O próximo equipamento deve ser lançado na cidade de Manchester.

A Action Hunger é dirigida pelo advogado Huzaifah Khaled e tinha o cientista Stephen Hawking como seu principal apoiador. O desenvolvimento do projeto levou cerca de dois anos e o objetivo da organização é espalhar máquinas pela Europa e também pelos Estados Unidos, começando por Nova York.

Leia também:

Projeto brasileiro de trabalho para mulheres é case de sucesso em Nova York