Ex-usuária volta à cracolândia para abrir confeitaria

A confeiteira de sucesso Desirée Mendes abrirá, nos próximos meses, um café no centro de São Paulo, em uma das ruas conhecidas por fazer parte da cracolândia. A região, que há décadas é marcada por intenso tráfico e consumo de drogas, pode não parecer a melhor escolha para os negócios, mas a nova empresária não escolheu o local por acaso.

Desirée foi dependente de crack por mais de 20 anos e por 16 deles viveu na cracolândia. Ela saiu de lá em 2012 e agora ela quer voltar.

O primeiro contato com as drogas aconteceu no início da adolescência, por volta dos 12 anos, e pouco tempo depois a jovem já morava sozinha nas ruas da capital paulista. Durante essas mais de duas décadas, ela conta ter passado por 19 internações para tratamento e foi presa 11 vezes.

Confeiteira Desirée Mendes quer retornar à cracolândia com seu próprio negócio. Foto Divulgação
Confeiteira Desirée Mendes quer retornar à cracolândia com seu próprio negócio. Foto Divulgação

Em 2012, quando estava grávida, Desirée chegou a ser retratada em uma matéria do jornal Folha de S.Paulo ao lado da sogra. Na reportagem, a entrevistada mostrava pouca esperança de se livrar do vício. “Tenho 35 anos. Estou desde os 12 nessa vida. É difícil largar tudo”, disse ao jornal.

Mas foi ainda naquele ano, antes do nascimento do filho, que Desirée foi presa novamente com uma grande quantidade de crack e, dessa vez, foi diferente. No presídio, pensando no filho que estava para nascer, ela decidiu que estava na hora de mudar de vida.

O filho nasceu na prisão, mas logo  Desirée foi solta graças a um habeas corpus. Sem oportunidade de emprego fixo, ela começou a vender brigadeiros no centro, passou a preparar doces por encomendas, aperfeiçoou-se em confeitaria até que foi contratada pela empresária Jaqueline Alves, proprietária do Cereja Flor bistrô, localizado em uma área nobre da Zone Leste de São Paulo.

A parceria de Desirée Mendes e Jaqueline prosperou e as suas criações, grandes sobremesas servidas em taças para compartilhar, ganharam fama em toda a cidade, com direito a destaques na imprensa. Inspirada por esse sucesso, a funcionária propôs à chefe a abertura, em sociedade, de um café no centro da cidade.

Desirée Mendes dá aulas a dependentes na cracolândia. Foto Reprodução BBC
Desirée Mendes dá aulas a dependentes na cracolândia. Foto Reprodução BBC

A ex-moradora nunca deixou de frequentar a cracolândia. Ela retorna à região com frequência para dar aulas do programa Recomeço, do governo de São Paulo, no qual ensina dependentes em tratamento a preparar doces e salgados.

Desirée ainda corre o risco de voltar à prisão para terminar de cumprir a pena de seis anos à qual foi condenada em 2012. No ano passado, teve início uma campanha online pela garantia de sua liberdade e uma decisão de Ricardo Lewandowski, no Supremo Tribunal Federal, fortaleceu a defesa de que ela está totalmente reintegrada e que atualmente nada justifica seu retorno à prisão.

O café de Desirée e Jaqueline vai se chamar Delas e ainda não tem data para abrir as portas.

Leia também:

Professor brasileiro pode ganhar Nobel da educação