Ativista pelos direitos de HIV-positivos conta sua história em livro

Beto Volpe, que há décadas luta pelos direitos de pessoas HIV-positivas, está lançando autobiografia na qual conta como tem sido viver com o vírus da AIDS nos últimos 27 anos. O livro, chamado “Morte e Vida PositHIVa”, traz sua experiência pessoal como exemplo de superação e seu trabalho contra o preconceito.

Hoje com 55 anos, Volpe descobriu ser portador do vírus HIV no final dos anos 1980, quando acesso a informações e tratamentos ainda eram restritos e o diagnóstico vinha acompanhado de grandes doses de preconceito.

Na obra, Volpe conta como chegou próximo da morte em 1996, e como começou a se recuperar com a chegada do tratamento com retrovirais. Com a recuperação, veio a energia para lutar pelos direitos de outros soropositivos.

Em 1999, fundou a ONG Hipupiara em São Vicente, litoral de São Paulo, que permaneceu ativa por 15 anos. Nos últimos anos, Volpe tem viajado dando palestras nas quais motiva pessoas portadoras do HIV a abraçarem a vida, e utiliza a internet para aconselhar outros soropositivos.

A biografia está sendo lançada pela editora Realejo. Confira mais informações no site http://oseulivreiro.com.br/produto/morte-e-vida-posithiva.

Ativista Beto Volpe lança autobiografia. Foto de divulgação