Gigante da moda cria roupas para pessoas com deficiência

A marca de roupas Tommy Hilfiger vem dando um show de inclusão ao criar roupas para pessoas com deficiência. Depois de ter lançado uma linha especial para crianças com autismo, a grife norte-americana agora desenvolveu uma coleção para adultos com deficiência física, provando que a moda pode e deve ser inclusiva.

Inspirada em sucessos de coleções clássicas da grife, a nova linha esportiva tem costuras e aberturas ajustadas. A ideia é ajudar cuidadores e usuários a se vestirem mais facilmente, com uso de zíperes magnéticos e fechos com velcro.

Modelo veste roupa Tommy Hilfiger. Foto: divulgação
Modelo veste roupa Tommy Hilfiger. Foto: divulgação

 Ao todo foram desenhadas 34 criações para mulheres e 37 para homens.

 

Modelo da nova linha de roupas para pessoas com deficiências da Tommy Hilfiger.
Modelo da nova linha de roupas para pessoas com deficiências da Tommy Hilfiger. Foto divulgação.

Cortes e estruturas foram pensados para acomodar próteses e outros acessórios de mobilidade. Tommy Hilfiger declarou que inclusão e democratização da moda sempre estiveram no cerne do DNA da marca.

Tommy Hilfiger com o filho Dee e a filha Kathleen
Tommy Hilfiger com o filho Dee a a filha Kathleen. Foto: internet

O famoso estilista americano e a atual mulher Dee Ocleppo sofrem na pele a questão da discriminação. Os dois têm filhos com espectro autista, frutos de seus casamentos anteriores. Por causa da filha Kathleen e do enteado Alex, Tommy despertou para a necessidade da moda ser inclusiva. E além de lançar as coleções para adultos e crianças com deficiências, ele passou a apoiar a causa do Autism Speaks, uma organização dedicada a atender as necessidades das pessoas com autismo e de promover pesquisas para encontrar as causas e soluções para o transtorno do espectro do autismo. “A moda deve refletir o mundo diverso em que vivemos.

As linhas de roupas adaptadas ainda não têm previsão de chegada ao Brasil. Por enquanto só estão disponíveis na loja online americana da Tommy Hilfiger.

Veja também:

Startup desenvolve relógio em braille