Rio será sede de laboratório de cidades inteligentes

Ciente das dificuldades em lidar com os problemas de urbanização em grandes metrópoles, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Instituto Nacional de Metereologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) anunciaram a criação do primeiro laboratório focado no estudo de cidades inteligentes.

A cidade sede dessa empreitada, orçada em R$ 2,5 milhões, será o Rio de Janeiro. Lá, serão realizadas pesquisas, certificações e testes de tecnologias desenvolvidas com foco no conceito das smart cities.

Vista do Rio de Janeiro, que abrigará o primeiro laboratório de cidades inteligentes do país.
Vista do Rio de Janeiro, que abrigará o primeiro laboratório de cidades inteligentes do país. Foto: Pixabay

A ideia é criar soluções, com bases em simulações em ambientes controlados, para oferecer projetos voltados a temas como mobilidade urbana, iluminação, prevenção de desastres e um melhor uso de serviços, como luz, água, gás e saneamento – tudo amparado por recursos tecnológicos já disponíveis no mercado nacional.

De acordo com o presidente do ABDI, Guto Ferreira, as grandes cidades estão em constante mudança e não serão as mesmas num intervalo de dez anos. Dessa forma, é importante pensar em soluções que possam fazer do país protagonista em assuntos ligados às smart cities.