Por um mundo melhor. Esse é o lema do Rock in Rio, mega evento musical que acontece em setembro, no Rio. O festival promete usar seu potencial para impactar não só os nossos ouvidos, mas a nossa vida.

logotipo rock in rio por um mundo melhor
foto: divulgação

O projeto “Por um mundo melhor” surgiu em 2001, na terceira edição do RIR, e desde então mais de 70 milhões de reais foram investidos em ações sociais no Brasil, em Portugal e em outros países. Entre as ações que foram realizadas estão a formação de 3.200 alunos no ensino médio no Rio, a construção de 10 salas de música em escolas municipais brasileiras, a plantação de mais de 300 mil árvores na Amazônia, a construção de um centro de saúde no Maranhão, a instalação de 760 painéis solares em 38 escolas públicas portuguesas, a doação de 2.200 instrumentos musicais para cerca de 150 ONGs, de uma escola na Tanzânia e por aí vai.

Vale relembrar o primeiro momento da iniciativa. Em 2001, quase 100 milhões de pessoas fizeram 3 minutos se silêncio para que cada um de nós pensasse no seu papel na construção de um mundo melhor. 3.522 estacões de rádio e TV aderiram ao minuto de silêncio.

foto aérea do festival Rock in Rio mostrando multidão
foto: divulgação

Paralelamente aos projetos sociais, o Rock In Rio trabalha para diminuir o impacto ambiental de suas ações. Em 2008, o festival criou um manual de boas práticas que, em 2010, evoluiu para um plano de sustentabilidade ainda mais abrangente. Entre as metas do plano está a redução de emissões de CO2 e o envolvimento de parceiros e provedores em ações sustentáveis.

O Rock In Rio foi o primeiro festival a conseguir o selo 100R sobre reciclagem de lixo. A média de reciclagem do evento já chega a 70%, tanto no Brasil quanto em Portugal.

Para os organizadores do evento, a música é um excelente pretexto para reunir jovens, fazer com que eles pensem no que está acontecendo no mundo e se mobilizem em busca de soluções para nossos problemas. Os organizadores estão determinados a mostrar que pequenas mudanças de atitude no dia-a-dia podem ser um enorme impacto no nosso futuro.

Roberta Medina, vice-presidente do RIR, explica que, para poder provocar esse pensamento, eles precisavam agir antes e não ficar só no discurso de que aos poucos todos nós podemos fazer a diferença.

Como sabemos, a atitude individual MUDA TUDO no coletivo.

luzes do festival Rock in Rio
foto: divulgação