Caixas de leite contra o frio

Uma organização sem fins lucrativos está usando caixas de leite descartadas para bloquear o frio e a chuva em casas de madeira. O projeto, chamado Brasil Sem Frestas, atua em comunidades carentes da região Sul, onde as temperaturas são as mais baixas do país.

Nas mãos de voluntários, as caixas de leite Tetra Pak são transformadas em placas que, instaladas no interior das casas, promovem isolamento térmico, impedem a entrada de chuva e também de insetos, aumentando o conforto dos moradores e diminuindo o risco de doenças.

Voluntários do Brasil Sem Frestas separam caixas de leite descartadas. Foto Divulgação
Voluntários do Brasil Sem Frestas separam caixas de leite descartadas. Foto Divulgação

O projeto começou com a iniciativa de Maria Luiza Camozzato, que desenvolveu a solução em Passo Fundo (RS). Há cerca de três anos, Tânia Ribas levou a ideia para Curitiba e ampliou o projeto para toda a região metropolitana da capital paranaense. Em 2017, o projeto venceu o prêmio Bom Exemplo do Paraná.

Atualmente, o Brasil Sem Frestas conta com mais de 80 voluntários em Curitiba. Eles realizam a coleta das caixas, limpeza, separação e corte das embalagens. Em seguida, fazem a costura das peças em grandes placas e realizam a instalação nas casas carentes utilizando grampeadores de pressão. Todo o trabalho inicial é feito na garagem de Tânia.

As embalagens Tetra Pak são formadas por camadas de papel-cartão, alumínio e polietileno e as mesmas propriedades que garantem a preservação do alimento ajudam a promover conforto térmico dentro das casas pobres de madeira.

Voluntária do Brasil Sem Frestas realiza revestimento de casa com caixas de leite. Foto Divulgação
Voluntária do Brasil Sem Frestas realiza revestimento de casa com caixas de leite reaproveitadas. Foto Divulgação

Para revestir uma casa nas comunidades carentes são utilizadas cerca de duas mil caixas de leite. O material é recolhido na cidade de Curitiba em postos de doação.

Para doar caixas de leite, confira os postos de coleta no site oficial do projeto.

Leia também:

ONG ilumina comunidades carentes com energia solar