Palhaço leva diversão pelo país a bordo de um Fusca

Levar arte e diversão a cantos remotos do Brasil é a missão de Rafael Trevo, que prefere ser chamado de palhaço Trevolino. A bordo de um Fusca 1964 e na companhia da parceira Lelê, Trevolino viaja pelo interior do país fazendo shows e exibindo filmes para a população.

Trevolino começou sua odisseia sozinho em uma bicicleta, em 2012. Com pouco dinheiro no bolso, o palhaço saiu de São Paulo rumo ao interior do Ceará para realizar o sonho de viver apenas de arte. No caminho, fazia apresentações teatrais e circenses.

Trevolino e Lelê formam a Cia da Sorte. Foto Reprodução Facebook
Trevolino e Lelê formam a Cia da Sorte. Foto Reprodução Facebook

Enquanto levava risadas a pequenas comunidades afastadas dos centros urbanos e carentes de diversão, Rafael conta ter encontrado pessoas que lhe davam em troca uma cama, banho e comida.

Ele cruzou o país sozinho durante cerca de um ano. Ao passar por Brasília, Rafael conheceu a arquiteta Letícia Marins – a Lelê -, mas seguiu viagem para continuar com seu projeto.

Meses depois, ao dar essa parte da missão por encerrada, Rafael voltou para São Paulo e retomou contato com Letícia. Juntos, o casal reformou o Fusca que estava parado na garagem da família Trevo e criou a Cia da Sorte, em 2013, e caiu na estrada novamente.

Cia da Sorte percorreu o país e hoje está baseada em Brasília. Foto Reprodução Facebook
Cia da Sorte percorreu o país e hoje está baseada em Brasília. Foto Reprodução Facebook

Com o veículo, as apresentações passaram a incluir a exibição de filmes em pequenas comunidades e ganharam o nome de Cine Fusca. Durante um ano, a dupla de artistas percorreu 15 mil quilômetros, passando por 13 estados e se apresentando para cerca de 80 mil pessoas, e terminaram a viagem em Brasília.

Hoje da Cia da Sorte tem a capital do país como base, mas segue fazendo apresentações locais e em outros estados e levando a arte circense adiante. Os novos projetos podem ser acompanhados pela página da companhia no Facebook.

Leia também:

Nathan Amaral, violinista, é 1º colocado em curso na Áustria