Escola do Tocantins ganha prêmio internacional de arquitetura

O projeto arquitetônico da Escola da Fazenda Canuanã, localizada no Tocantins, foi escolhido como Melhor Edifício de Arquitetura Educacional pela premiação internacional Building Of The Year, promovida pelo ArchDaily, o site de arquitetura mais visitado do mundo.

A nova escola foi desenvolvida pelo designer Marcelo Rosenbaum, no Instituto A Gente Transforma, e pelo escritório Aleph Zero. O projeto, entregue em 2017, tinha como objetivo tornar o dia a dia dos alunos mais acolhedor e confortável, fazendo com que eles se sentissem verdadeiramente em casa.

Escola da Fazenda Canuanã ganha prêmio de arquitetura
Escola da Fazenda Canuanã. Foto Divulgação

O colégio Fazenda Canuanã funciona há mais de 40 anos na zona rural de Formoso do Araguaia, em uma área de 25 mil metros quadrados, e atualmente tem o apoio da Fundação Bradesco. A escola funciona em sistema de internato para atender cerca de 800 crianças e adolescentes vindas de regiões mais afastadas.

Antes da reforma, os estudantes eram acomodados em dormitórios com 20 beliches cada, em locais com poucos espaços para individualidade e privacidade. Além disso, os alunos reclamavam do calor e da pouca ventilação.

Escola da Fazenda Canuanã ganha prêmio de arquitetura
Escola da Fazenda Canuanã. Foto Divulgação

Antes de dar início ao projeto, os responsáveis conversaram com os estudantes para entender suas necessidades e vontades. Em seguida, visitaram as casas de alunos em diversos pontos da região, para conhecer de perto seus cantos particulares.

No novo projeto, os alunos passaram a ser divididos em quartos para apenas seis moradores e, assim, têm a chance de não apenas individualizar mais o seu espaço, mas também de controlar melhor a rotina após os estudos de acordo com os desejos do pequeno grupo. Os dormitórios foram agrupados em torno de jardins, seguindo os desejos dos jovens estudantes.

Escola da Fazenda Canuanã ganha prêmio de arquitetura
Dormitórios da Escola da Fazenda Canuanã. Foto Divulgação

Para deixar as instalações mais adequadas ao clima da área, onde a temperatura pode chegar a 38° no verão, os arquitetos estudaram soluções tradicionais da região em comunidades ribeirinhas e indígenas, e empregaram diversas técnicas da cultura local e soluções aprendidas na pesquisa. O resultado destaca o uso de madeira, painéis de palha trançada, tijolos de cimento e bastante vegetação.

Escola da Fazenda Canuanã ganha prêmio de arquitetura
Escola da Fazenda Canuanã. Foto Divulgação

Veja também no Muda Tudo:

Casa de diarista ganha prêmio internacional de arquitetura