Plástico recolhido do mar vira camisa

A marca sueca Gant está utilizando material plástico retirado do mar Mediterrâneo para produzir uma linha de camisas. As peças masculinas e femininas estão já estão à venda na Europa e nos Estados Unidos.

As camisetas fazem parte da linha Beacons Project, lançada este ano. Elas são confeccionadas a partir de fios de poliéster feitos de lixo plástico reciclado e coloridas com corante índigo, de origem vegetal.

Camisas feitas com fios de plástico da linha Beacons Project. Foto Divulgação
Camisas feitas com fios de plástico da linha Beacons Project. Foto Divulgação

O lixo é recolhido do Mediterrâneo por pescadores e, então, transformado em fios pela empresa espanhola Seaqual, parceira do projeto. Para aumentar o conforto da peça, os fios reciclados são combinados a algodão.

Para finalizar as camisas, os botões e as embalagens também são feitos de material totalmente reciclado.

“Com esse projeto, estamos lançando um processo totalmente novo de criar produtos atraentes com uma pegada consciente e sustentável, que deve crescer e evoluir com o tempo”, afirma Brian Grevy, diretor de marketing da empresa. A marca pretende utilizar o material em todas as suas linhas no futuro.

Camisas feitas com fios de plástico da linha Beacons Project. Foto Divulgação
Camisas feitas com fios de plástico da linha Beacons Project. Foto Divulgação

“Estamos determinados a assumir a responsabilidade e fazer nossa parte por um planeta melhor, porque os problemas do oceano são problemas de todos nós”, diz o porta-voz.

Pesquisas indicam que se a humanidade continuar consumindo e descartando plástico no ritmo atual, em 2050, os oceanos vão ter mais plástico do que peixes. Para se ter uma ideia do problema, estimativas dizem que cerca de oito bilhões de toneladas de plástico são jogadas no mar todos os anos,  o que equivale a cerca de um caminhão de lixo por minuto! Por isso é tão importante atitudes transformadoras como a da empresa sueca, que vende suas camisas pelo  site oficial da marca. Pena que, por enquanto, elas ainda não são entregues no Brasil.

Leia também:

Pioneira da moda sustentável entre as executivas mais importantes do Reino Unido