Projeto estimula o ensino de LIBRAS para bebês

O projeto LIBRAS para Bebês, conduzido pela Editora Arara Azul, quer incentivar o ensino da Língua Brasileira de Sinais para bebês como forma de estreitar os laços entre pais e filhos nos seus primeiros meses de vida, antes mesmo de eles começarem a falar.

A iniciativa utiliza a internet para estimular os pais a adquirir um vocabulário básico na linguagem dos sinais e ensinar algumas palavras a seus bebês.

No site librasparabebes.blogspot.com.br, totalmente dedicado ao assunto, uma série de vídeos mostra os sinais que representam palavras simples, como alimentos, cores, animais e família.

Por trás do projeto está Anie Pereira Goularte Gomes, pesquisadora da Língua Brasileira de Sinais. Anie conta que tem um marido surdo e um bebê ouvinte, e que percebeu que o filho, desde cedo, acompanhava muito atento a comunicação do casal na linguagem de sinais.

Segundo estudos, os bebês conseguem aprender a se comunicar com sinais porque, no ser humano, a capacidade motora se desenvolve antes da capacidade de fala. Com isso, ao serem ensinados a se expressar com sinais, os bebês conseguem transmitir aos pais aqueles desejos ou necessidades que ainda não são capazes de colocar em palavras.

Para os pais, essa comunicação ajuda a estreitar os laços com os filhos e entender melhor o que eles estão sentindo: se aquele choro é sono, fome, frio ou se o bebê está sentindo alguma dor. Isso diminui a frustração de muitos pais que, antes, não conseguiam interpretar as vontades e necessidades de seus filhos.

O ensino de língua de sinais para bebês começou nos Estados Unidos ainda na década de 90. Hoje, o país possui centenas de especialistas dedicados a estimular bebês a se comunicar e estudos que comprovam os benefícios desse desenvolvimento. Segundo pesquisas, os estímulos podem começar a partir dos seis meses e, em torno dos oito meses de idade, as crianças já começam a conseguir se expressar por meio de sinais.

A médio e longo prazo, essa aprendizagem também traz benefícios para os bebês em termos de fala. Estudos apontam que bebês que aprendem a linguagem de sinais podem desenvolver a linguagem oral mais cedo e crescem com um vocabulário mais amplo.

Leia também:

Brasil é referência mundial em doação de leite materno