Pesquisa impede que câncer se espalhe pelo corpo

Uma nova pesquisa realizada no Instituto OHSU Knight Cancer, nos Estados Unidos, mudou o foco dos estudos contra o câncer e teve resultados positivos ao inibir o surgimento de metástases. Na pesquisa, divulgada em junho deste ano, os cientistas encontraram uma forma de imobilizar as células do câncer e evitar que elas se espalhem para outros órgãos.

Os estudos, que foram realizados por uma equipe multidisciplinar, tiveram início em 2011. Ao invés de seguir o mesmo caminho de outros estudos e investigar como matar o câncer definitivamente, os cientistas concentraram esforços em encontrar um composto que freasse as células doentes, sem afetar as saudáveis.

Equipe do Instituto OHSU Knight Cancer, nos Estados Unidos. Foto Divulgação
Equipe do Instituto OHSU Knight Cancer, nos Estados Unidos. Foto Divulgação

Para isso, um químico da Universidade de Northwestern estudou diversas substâncias e conseguiu encontrar uma molécula específica capaz de congelar as células em quatro tipos de câncer: mama, próstata, colorretal e pulmão.

Apesar de não curar a doença, essa nova técnica poderá impedir que o câncer se espalhe pelo corpo criando metástases e tornando a cura ainda mais difícil. Para os pesquisadores, esse tratamento feito no início da doença pode ser crucial para salvar milhões de vidas.

Os resultados do estudo foram divulgados por Raymond Bergan, chefe da divisão de oncologia e hematologia do instituto. Ele explica que, em muitos casos, o diagnóstico pode ser feito quando a doença ainda é apenas um pequeno caroço e pausar o movimento das células para outros órgãos é a chave para impedir que a doença se torne incurável.

O próximo passo da pesquisa é conseguir fundos para começar a realização de testes em humanos. Embora promissora, ainda não há previsão para que a terapia seja aprovada.

Veja também:

Tecnologia brasileira diminui efeitos da quimioterapia