“Vila” para animais abandonados em São Paulo

Há cerca de cinco anos, o paulista Antônio de Barros decidiu transformar um terreno vazio em uma vila especial para animais abandonados. Morador de Mogi das Cruzes, esse amante dos animais construiu diversas casas com direito a energia elétrica para abrigar cachorros e gatos sem lar.

Antônio começou a ajudar os animais há mais de 15 anos, depois de socorrer uma cachorra que tinha sido atropelada em frente à sua casa. Com o passar do tempo, ele foi acolhendo um número maior de animais e começou a receber ajuda.

Vilas adaptadas para caes
“Vila” para animais criada pelo paulista Antônio de Barros. Foto reprodução.

Há cerca de cinco anos, com 55 anos de idade, ele ganhou um terreno de 1.250 m² em Mogi das Cruzes. No fundo, fez uma casa para sua família e, no resto do espaço, deu início à construção de casas para os cachorros. Hoje o local possui dez canis, onde mais de 100 cães são separados entre machos e fêmeas, mais velhos e mais novos, e também por afinidade. Os mais idosos ou com problemas de saúde ganham espaços especiais, adaptados às suas necessidades. As luzes são acesas pelo protetor ao anoitecer e só são apagadas na hora de dormir.

Já os cerca de 13 gatos ficam em um espaço separado, cercado por grades para impedir que eles fujam ou circulem entre os cães.

Paulista Antônio de Barros, que criou uma vila para animais abandonados. Foto reprodução.

Todos os animais estão disponíveis para adoção e seu criador depende de doações para manter os animais – seja financeira, em ração, produtos de limpeza ou remédios. Ele também conta com o auxílio de voluntários para manter a limpeza da vila.

Para ajudar o Antônio de Barros a cuidar desses animais e saber mais sobre sua história, entre em contato com a UPI – União de Protetores Independentes pelo email [email protected] ou pelo grupo no Facebook.