Brasil cria tomate que usa menos agrotóxicos

Pesquisadores brasileiros da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) criaram um tomate mais saudável e mais resistente a pragas, o que vai demandar um uso menor de agrotóxicos na sua produção. Essa variedade do tomate levou anos para ser desenvolvida pela equipe da Embrapa Hortaliças e ganhou o nome BRS Zamir.

Tomate BRS Zamir. Foto Divulgação
Tomate BRS Zamir. Foto Divulgação

O novo tomate é do tipo cereja ou grape e foi desenvolvido com técnicas de melhoramento genético, pelo cruzamento de linhagens, sem modificação genética (não transgênico). A semente pode ser usada para cultivo orgânico ou tradicional e irá produzir um tomate bastante doce.

O tomate BRS Zamir contém até três vezes mais licopeno, substância que tem propriedade antioxidante (que protege as células contra o efeito dos radicais livres) e, segundo estudos, auxilia na prevenção de câncer.

Por precisar de uma menor quantidade de agrotóxicos, graças a sua maior resistência a pragas, o alimento será mais saudável e terá um custo de produção menor. Além disso, por ser uma semente desenvolvida totalmente no país, o custo do plantio ficará ainda mais barato. Até hoje, o cultivo de tomate cereja no país era feito principalmente com sementes importadas, adquiridas a preços elevados.

Tomate BRS Zamir, desenvolvido no Brasil. Foto Divulgação
Tomate BRS Zamir, desenvolvido no Brasil. Foto Divulgação

A produção atual do tomate é uma das que emprega a maior quantidade de agrotóxicos, devido à vulnerabilidade do fruto a pragas.

Produtos derivados de tomate são a principal fonte de licopeno na dieta humana e o novo fruto se tornará o item com maior concentrado de licopeno no mercado brasileiro, segundo a Embrapa.

Leia também:

Líder comunitária cria cooperativa de alimentos em SP