Cidade do Paraná cria hortas comunitárias para população carente

A prefeitura da cidade de Maringá, no Paraná, criou espaços verdes e está unindo seus moradores em torno de 38 hortas comunitárias. Os locais reúnem cerca de 900 pessoas, que trabalham diariamente na produção de alimentos e na manutenção dos espaços.

O projeto teve início em 2007. A prefeitura reserva os espaços para a criação das hortas e destina lotes a moradores de baixa renda, que ficam responsáveis pelo plantio. Os encarregados de cada lote são selecionados em sorteio realizado pelo Centro de Referência de Assistência Social.

Hortas comunitárias em Maringá. Foto Divulgação
Uma das hortas comunitárias em Maringá. Foto Divulgação

Para que essas pessoas consigam manter as hortas, elas recebem orientações, ganham os equipamentos necessários e os insumos para iniciar e manter o trabalho. Todos os cultivos são feitos sem o uso de agrotóxicos.

A produção é consumida pelas famílias das pessoas que trabalham nas hortas e o excedente é vendido diretamente a outros consumidores a preços baixos, entre R$ 1 e R$ 3. Dessa forma, as hortas vão ajudando outras famílias carentes a manterem uma alimentação mais saudável.

A Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria de Serviços Públicos do município realizam vistorias nas hortas. E, para complementar a iniciativa, a cidade possui também uma Central de Compostagem para a produção do adubo orgânico que abastece a produção.

Horta comunitária em Maringá. Foto Divulgação
Horta comunitária em Maringá. Foto Divulgação

A horta mais nova do projeto foi inaugurada em abril deste ano, no Conjunto Habitacional Albino Meneguetti. Ela tem 110m² divididos em 30 canteiros – cada um deles destinado a uma família que resida nas redondezas.

Além de melhorar a alimentação das famílias ligadas às hortas e criar uma fonte de renda, o projeto também ajuda a promover a socialização dos moradores entre si e o contato maior com a natureza.

Leia também:

Unidades de saúde de Florianópolis ganham hortas medicinais